Em Ceilândia, Fort Atacadista decora fachada da loja com arte de grafiteiros locais

Desenhos estampados na parede valorizam a cultura e os costumes dos moradores da cidade



Imagens de encher os olhos, com cores, curvas e nuances que mostram os costumes, a cultura e os pontos mais conhecidos de Ceilândia (DF) estão chamando a atenção dos moradores que passam em frente à loja do Fort Atacadista, atacarejo do Grupo Pereira. Na cidade a presença nordestina é forte. E isso se reflete nas manifestações artísticas que remetem à cultura popular do Nordeste. Entre elas estão o tradicional São João do Cerrado, os encontros de repentistas e cordelistas na Casa do Cantador e forrós comandados por trios de forró pé-de-serra, com a formação de sanfona, zabumba e triângulo. Para prestigiar a cultura genuína de Ceilândia o Fort Atacadista firmou parceria com um grupo de grafiteiros para pintar a fachada lateral da unidade com desenhos que representam pontos marcantes de Ceilândia, destacando a cultura local com arte em grafite.

 


Um dos autores do grafite é Carlos Astro do 1V2M (Uma vida, dois mundos). Entusiasmado, ele conta que desenvolve este trabalho para a rede de atacarejos desde 2019 e tem orgulho em ver sua profissão reconhecida e valorizada. “Aqui trouxemos os principais pontos da nossa cidade. Passamos pela caixa d’água, pela feira, pelo bar, partimos para o tradicional dominó no centro de Ceilândia, comércios, a Casa do Cantador na Ceilândia Sul e terminamos com as frutas representando o Fort, empresa que acredita na nossa região e valoriza seus moradores”, comenta Astro.


 

O grafiteiro conta que transformar seu potencial em arte remunerada, numa profissão o ajudou a sair da pichação e hoje incentiva outras pessoas a usarem seu talento para o bem. “Já fui pichador, até que em 2001, com o projeto ‘Picasso não pichava’ eu descobri o quanto é bom sair do risco e ganhar dinheiro trabalhando na minha cidade. Com o grafite comercial a gente fica longe da violência, das drogas e da morte. E aqui é uma parceria bacana porque o Fort abastece a nós moradores que compramos no varejo e também ajuda o microempreendedor a trabalhar. É o tio do algodão doce, a boleira, o vendedor do espetinho, de hot dog que tem suas compras facilitadas, com bons preços e qualidade”, relata.



Em 2021 a loja do Fort Atacadista de Ceilândia passou por intervenções como a troca de equipamentos, balcões, expositores, frente de caixa, refrigeradores, câmara fria, fachada e ampliação do espaço que passou de 2.800 metros quadrados para 3.500 metros quadrados.


Fotos: Buzz Filmes

Postar um comentário

0 Comentários