Psicólogas e assistentes sociais do HRL se destacam ao proporcionar suporte ao paciente

Acolhimento e cuidados com a saúde mental são prioridade para esses profissionais

Assistentes sociais e psicólogas fazem acompanhamento durante o encontro virtual do paciente com a família. Foto: Luiz Fernando Fernandes

O contato humano e caloroso contribui para o sucesso do tratamento e recuperação do paciente, por isso, todos são acolhidos por psicólogas e assistentes sociais ao chegarem ao Hospital Regional de Luziânia (HRL). Os profissionais identificam possíveis problemas emocionais, comportamentais e cognitivos e, se algumas dessas alterações são observadas, os especialistas atuam com o intuito de minimizar o sofrimento emocional e melhorar a capacidade de enfrentar o processo da doença e de isolamento social.

A psicóloga Laricy Souza conta que o processo dos cuidados com a saúde mental também passa pelos parentes dos internados. “A família faz parte do processo de hospitalização, podendo se tornar uma grande aliada no tratamento, além disso o psicólogo atua no processo de escutar e acolher seu sofrimento, mediar comunicação com a equipe e garantir a compreensão do tratamento”, afirma.

Já as assistentes sociais são responsáveis em garantir aos pacientes seus direitos no atendimento, que começa no ato da internação ou quando a pessoa já está no leito, momento do acolhimento social, quando se define se há a necessidade de intervenção ou não. Caso seja idoso ou não possua um celular, o assistente social se torna uma referência, um apoio, fazendo as vezes do familiar, auxiliando em seus cuidados e servindo como mediador entre parentes, paciente e equipe médica.

Segundo a assistente social Adriana de Alcântara Silva, em uma unidade hospitalar exclusiva para o tratamento da Covid-19, como o HRL, a atenção deve ser redobrada, pois os familiares não podem permanecer no local para evitar uma proliferação do coronavírus. “Por ser um hospital de campanha, não podemos permitir acompanhantes ou visitas diárias. Diante dessa realidade, o assistente social passa ser os olhos e ouvidos dos familiares e também de quem está internado”, disse.

Tanto as psicólogas como as assistentes sociais têm responsabilidades únicas, porém, na maioria das vezes trabalham em conjunto buscando o bem-estar das pessoas hospitalizadas e familiares. Em projetos como a “Visita Virtual” e o “Amor além do Vidro” é comum ver as duas equipes atuando juntas para realizar o encontro entre os pacientes e familiares

Postar um comentário

0 Comentários