Gratidão aos profissionais de saúde traz professora de volta ao HRL oito meses após alta melhorada

Simone Rabelo ficou 59 dias na UTI, se recuperou plenamente, e a agora retorna à unidade para presentear seus heróis

Diretor do HRL, Francisco Amud recebeu um quadro personalizado da família de Simone Rabelo. Foto: Luiz Fernando Fernandes

A palavra desistir não existe no vocabulário dos profissionais do Hospital Regional de Luziânia (HRL), tampouco na vida da professora Simone Rabelo, 40 anos, que superou todas as dificuldades possíveis e conseguiu se recuperar da infecção da Covid-19 em novembro de 2020, após 59 dias na UTI e mais 7 dias na enfermaria. Agora, depois de 8 meses, Simone retornou acompanhada pela família para agradecer a todos que persistiram na luta e salvaram sua vida.

Recuperada e vacinada, Simone trouxe consigo mais de 100 quadros pintados à mão e diversos copos personalizados para ofertar como presentes. Em um momento cheio de comoção, gratidão e lágrimas, a professora reencontrou os profissionais que cuidaram dela durante a internação no HRL. “Tem gente aqui que é responsável por eu conseguir acordar todo dia. Os presentes não são nada em comparação ao que o hospital e os profissionais fizeram por mim. Serei eternamente grata”, afirmou.

 

Recuperação

A Simone deu entrada no HRL no dia 24 de setembro com 50% dos pulmões comprometidos. Já no dia seguinte ela foi transferida para a UTI onde permaneceu por 59 dias seguidos. Naquele momento, ela se apegou a esperança de rever a família e sair recuperada do Hospital Regional de Luziânia.

Um dos mais empenhados nos cuidados com a professora foi o Dr. Daniel Wanderley, diretor médico do HRL, que contou momentos vividos na época. “Valeu a pena não deixar a Simone desistir. Ver ela de pé aqui novamente mostra que estamos na profissão certa”, explicou. Graças à atuação da equipe do HRL a unidade já recuperou mais de 1.600 pacientes da Covid-19.

A irmã de Simone, Léia Rabelo, agradeceu aos que a cuidaram dela com tanto carinho. “Ela é milagre. A cada boletim ela estava pior que o anterior, mas os médicos vinham e davam esperança para a gente. Nossa casa está cheia de gratidão pelos cuidados com minha irmã. Vocês deixam suas famílias em casa e vem cuidar das famílias dos outros, isso não tem igual”, contou emocionada.

O diretor-geral do Hospital Regional de Luziânia, Francisco Amud, apresentou toda a unidade hospitalar para os familiares de Simone e agradeceu pela confiança depositada nos profissionais. “Nesses mais de dois meses que a Simone esteve em tratamento conosco, não deixamos de acreditar que veríamos ela saindo pela porta da frente, o que acabou acontecendo. Ficamos felizes por ter o retorno dela, demonstra que estamos no caminho certo”, concluiu.

 

Postar um comentário

0 Comentários