A mente: um órgão que determina toda a nossa vida

 

Vivemos em uma sociedade caótica na qual o imediatismo e a ansiedade reinam. Tudo é para ontem, tudo é perder tempo, a informação chega a todos de maneira quase instantânea e é preciso responder rapidamente a essa demanda, sendo, do cidadão, cada vez mais exigido com essa velocidade. Muitos acabam, em decorrência disso, em uma tentativa de acompanhar o ritmo da sociedade contemporânea, sucumbindo à depressão ou a vícios.

A resposta para esses problemas é mais simples do que possamos imaginar: a mente. Por mais que represente apenas 2% da massa do corpo, o cérebro é capaz de fazer mudanças e construir uma nova realidade. Isto é o que explica o terapeuta transpessoal e pesquisador, João Gonsalves: “quem estuda um pouco de neurociência sabe que o nosso cérebro é formado por conexões neurais e essa estrutura é que possibilita a ação. Fisicamente, o corpo é coordenado pelos comandos mentais”.

Compreende-se então que o cérebro ultrapassa suas funções básicas e biológicas. Ao longo da vida, são construídas malhas mentais, formadas por paradigmas individuais próprios. Até então essas malhas se mantiveram estáticas e seguíamos os mesmos padrões mentais. Entretanto, para João Gonsalves, essa estrutura pode mudar. “Depois de ter acesso à Autosofia, nós descobrimos um novo modelo mental que invalida muito da malha que havíamos construído anteriormente”, afirma. Esse fato acaba alterando o modo que o ser se constrói e desenvolve novas maneiras de autoconhecimento.

Cabe ressaltar que essa nova técnica não promete resultados imediatos e instantâneos. “A mente é um sistema complexo e reverter toda a malha é um processo lento. O trabalho é feito artesanalmente na construção de uma nova estrutura, enquanto a outra continua ativa e habitando em conjunto”, explica o assessor de autoconsciência. Depois disso, haverá uma consolidação da nova malha mental e a mudança da maneira de pensarmos. Para isto, será preciso sempre estar consciente e resiliente ao processo, uma vez que a antiga forma de pensar continuará ativa e influenciando a mente.

João Gonsalves explica que, “mesmo desejando um determinado objetivo, nossas antigas crenças nos levam a agir seguindo os velhos padrões mentais e, por consequência, a obtermos os mesmos antigos resultados. Temos que agir de maneira diferente, questionando os velhos padrões e reafirmando a nova malha mental; essa nova tomada de consciência nos encaminhará aos resultados que desejamos”. O autoconhecimento é capaz sim de alterar a nossa realidade física.

Serviço: João Gonsalves

Terapeuta e Assessor de Autoconhecimento

Fone: (11) 98203-1215

E-mail: joaodedeusjd@uol.com.br

Site: www.joaogonsalves.com.br

Endereço: Estrada Manoel Lages do Chão, 1335 - Cotia - São Paulo

Postar um comentário

0 Comentários