Câmara Legislativa debate nome para avenida de Sobradinho

 


Via pública em torno de parque ecológico poderá se chamar Avenida Parque Canela da Ema 

A Câmara Legislativa promoveu nessa quinta (3/12) uma audiência pública virtual para discutir o nome de uma avenida próxima ao Parque Ecológico Canela de Ema. A iniciativa é do deputado e morador de Sobradinho João Cardoso (Avante), que com o projeto de lei 680/2019, pretende atender à reivindicação de moradores da região ao denominar a pista como Avenida Parque Canela da Ema. Representantes do governo e lideranças comunitárias participaram do debate.

Ligado as questões ambientais, João Cardoso, que também é auditor do Instituto Brasília Ambiental (Ibram), defendeu o reconhecimento da importância ecológica do Parque Canela da Ema, rico em águas que ajudam a formar o ribeirão Sobradinho e o São Bartolomeu, e em plantas nativas do cerrado – entre elas, a canela de ema. Se a proposta for aprovada, a nova denominação visa abranger a via pública existente a partir da bifurcação da DF-150, na altura do Km 5, passando pelo Setor Habitacional Contagem até o Condomínio Buriti.

O parlamentar destacou as necessidades da região e os trabalhos feitos por meio do seu Gabinete Móvel. Na ocasião, João Cardoso também anunciou boas notícias para os moradores de Sobradinho 2. "É sabido que a região carece de recapeamento da via, melhorias no escoamento de águas pluviais, iluminação adequada, entre outros. Acompanhamos várias demandas da população e estamos trabalhando para que sejam atendidas.", disse.

"E para a população da região, tenho boas notícias. Uma emenda nossa foi destinada para o programa de eficientização e modernização da iluminação pública na região, com a troca das luminárias antigas por luminárias de LED, e outra emenda foi destinada para o recapeamento da via.", complementou.

Conscientização ambiental

Para Rejane Pieratti, superintendente de Gestão de Unidades de Conservação, Biodiversidade e Água do IBRAM, a iniciativa contribuirá para incentivar a participação da população na conservação da unidade.

"Este é um parque muito querido e com toda a razão pela comunidade e nós não temos objeção nenhuma. Inclusive, tudo o que fizer alusão à uma unidade de conservação é muito bem-vindo porque as unidades foram criadas como uma forma de ter uma área verde no meio das cidades e a comunidade precisa dessas áreas como escape para saúde.", comentou, ao lembrar que o parque foi recentemente recategorizado como parque ecológico pelo IBRAM, contando com 30% de área de preservação ambiental.

Na mesma linha, os demais participantes também apoiaram a proposta e destacaram a necessidade de mais atenção ao Parque Ecológico Canela de Ema. Estiveram presentes no debate Osmar da Silva Felício, administrador regional de Sobradinho 2; Liomar Gomes, líder comunitário e síndico do condomínio Boa Sorte; Wellington Tavares, síndico do condomínio Bem Estar; Claudio Régis Manfrim, síndico do condomínio Vivendas Alvorada 2; pastor Severino Souza, líder comunitário; e George Gomes, representante do deputado distrital Jorge Vianna.

Postar um comentário

0 Comentários