Acordo para promoção do turismo acessível no DF

Setur-DF e Embratur assinam protocolo de intenções que impulsiona divulgação das opções turísticas adaptadas para pessoas com deficiência

Foto: Divulgação Setur DF.

Turistas com deficiência de todo o Brasil poderão, a partir de agora, ter acesso às opções adaptadas de Brasília de forma direcionada. Em uma parceria inédita, a Secretaria de Turismo (Setur-DF) e a Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur) assinaram nesta quinta-feira (24) um protocolo de intenções voltado para a promoção do turismo acessível da capital federal – a cidade lançou, em 21 de setembro, o Guia Turístico Arquitetônico Acessível, dentro do programa Brasília Turismo Acessível.

O acordo inclui ainda o desenvolvimento de programas, projetos e ações conjuntas, de interesse mútuo e intercâmbio de informações e tecnologias que fortaleçam as ações voltadas para a promoção do turismo acessível em âmbito nacional. A Unidade Nacional de Acessibilidade (UNA) também é signatária do acordo como representante das pessoas com deficiência.
“Brasília é a capital do turismo acessível e nosso trabalho, a partir deste acordo, é oferecer uma experiência única para este turista”Vanessa Mendonça, secretária de Turismo

Segundo o presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, a assinatura do acordo demonstra a preocupação do Governo Federal com a inclusão social em todos os espectros da vida em sociedade. “É um governo que se preocupa muito com a inclusão social. Não existe nenhuma sede de governo em nenhum país que seja uma obra de arte a céu aberta como Brasília. Agora, teremos a capital com a maior acessibilidade entre todas as capitais do mundo”, afirmou. Ainda segundo Gilson, o objetivo final é que o modelo de Brasília seja levado a outras capitais brasileiras, de modo que seja criada uma rota acessível nacional.

A secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, destacou a importância do exemplo de Brasília enquanto capital para a promoção da ampla cidadania a todos os brasileiros. “Brasília é a capital do turismo acessível. E nosso trabalho, a partir deste acordo, é oferecer uma experiência única para este turista, reunindo os monumentos e oferecendo Brasília para que todos, sem exceção, possam visitar e ter segurança nos nossos espaços turísticos”, garantiu.

Marco: o instante da assinatura do acordo de promoção do turismo acessível | Foto: Setur-DF

O Guia Turístico Arquitetônico Acessível – não à toa lançado no Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência, celebrado em 21 de setembro – mapeou atrações e monumentos em Brasília que já contam com acessibilidade. A rota está disponível no site da Setur-DF e percorre o eixo central da capital, compreendendo Memorial JK, Planetário, Torre de TV, Museu Nacional Honestino Guimarães, Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida e a célebre Praça dos Três Poderes, onde está localizada a Casa de Chá, que abriga um Centro de Atendimento ao Turista (CAT).

Parceira desde o início das discussões do acordo, a presidente da UNA, Andrea Pontes, comemorou a assinatura do protocolo. “É um prazer receber este apoio da Embratur, ver que o poder público se importa com a inclusão destas pessoas. Nesta primeira rota arquitetônica acessível, criamos uma metodologia inédita em conjunto com a Setur, que possibilitará que as pessoas com deficiência possam visitar nossos monumentos com segurança e despertar a consciência da importância da acessibilidade na sociedade”, disse.

Inclusão

Sob orientação do Governo Federal, que passou a incluir intérpretes de Libras em todos os eventos, a Embratur também avançará na discussão da inclusão no setor turístico, com a abertura de uma gerência específica para o tema dentro da agência. “O projeto da Secretaria de Turismo vem ao encontro das iniciativas e prioridades da Embratur. Essa questão da acessibilidade para o turista é de fundamental importância e, por isso, estamos criando na Embratur uma gerência especial de inclusão”, apontou o coordenador de Inteligência Competitiva e Mercadológica da Embratur, Gentil Venâncio.

Alterar a atuação da Embratur para o território brasileiro foi uma das formas encontradas pelo Governo Federal para fortalecer o turismo nacional durante o estado de calamidade decretado em razão da pandemia de Covid-19. Seis meses após o fim da crise sanitária a agência voltará a atuar no exterior e levará as campanhas sobre as belezas do Amazonas para o mundo.

“Com a histórica transformação da Embratur de instituto para agência – após a aprovação da MP [medida provisória] 907 e sanção do presidente Bolsonaro no último mês de maio –, foi determinado que devemos atuar no Brasil. Por isso, campanhas já estão sendo realizadas para que o brasileiro conheça as maravilhas do seu país, porque ser brasileiro é morar onde o mundo sonha em tirar férias”, arremata Gilson Machado.

Postar um comentário

0 Comentários