DF, ajardinado e bem-cuidado em cada detalhe das cidades



Serviços de zeladoria integram órgãos que têm dado uma nova cara a todas as regiões administrativas



Grandes obras transformam a dinâmica das cidades, mas são os pequenos e médios serviços que mudam a paisagem e reforçam a importância do cuidado com os equipamentos públicos. No Distrito Federal, esses reparos – que vão desde a poda de árvores até a reforma de tesourinhas – são tratados como prioridade pela atual gestão.

“Temos olhado com carinho para todas as regiões administrativas”, afirma o governador Ibaneis Rocha. O GDF concentra uma grande força-tarefa formada por secretarias, empresas, órgãos e administrações regionais. Juntos, todos cuidam do patrimônio público ao promover obras e ações como tapa-buraco, desentupimento de bocas de lobo e da rede pluvial, pintura e sinalização de pistas e recuperação de parques infantis, entre outras.

“Essas pequenas obras e reparos, que eu costumo chamar de ajardinamento, são importantes para as cidades permanecerem bem-cuidadas e o cidadão ter a sensação de pertencimento à região em que mora”, destaca o governador. “E é um cuidado de verdade. Em vez de pintar o meio-fio quebrado, nós o trocamos, colocamos um novo e só então pintamos.”

Acompanhe, a seguir, como se desenvolve o cuidado diário com as cidades que compõem o Distrito Federal.

GDF Presente
O carro-chefe de todos esses serviços é o GDF Presente, coordenado pela Secretaria de Governo. O programa agiliza as demandas e reduz a burocracia, ao integrar diferentes órgãos e administrações regionais para tocar obras de recuperação e melhoria da infraestrutura das cidades.

Foto: Renato Alves.

“O GDF Presente permite o empoderamento do administrador, um atendimento mais ágil às demandas da comunidade e a descentralização dos serviços dos órgãos”, explica o secretário de Governo, Humberto Pires. “São fatores importantíssimos dentro do programa, pois, quando você tem todos os órgãos atendendo juntos, você facilita a realização daquele trabalho.”

A força desse trabalho nas 33 regiões administrativas (RAs) é demonstrada, abaixo, nos números do balanço parcial de 2020.
664,56 toneladas de entulho recolhidas
680,01 toneladas de asfalto pavimentado
631 buracos tapados
370 árvores podadas
501.954 m² de roçagem
470 obras de manutenção elétrica
162 luminárias trocadas por equipamentos de LED
146 mil metros de redes de águas pluviais desobstruídas, reconstruídas e construídas
704,8 quilômetros de áreas rurais patroladas

Novacap em ação

Boa parte do trabalho feito pelo GDF Presente conta com o apoio da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap). A Novacap é reconhecidamente uma empresa que zela pelo DF e até possui a própria fantástica fábrica de cuidados com a cidade. Quer ver só?

Até junho de 2020, somente de meios-fios e calçadas, foram construídos 15.025,17 mil m² nas 33 regiões administrativas do DF, com investimentos que totalizaram R$ 5.637.831,83 milhões. Dentro da Novacap, a fábrica de concreto produziu 2.900m de meios-fios entre janeiro e junho deste ano.

Também vieram da produção da companhia 14.252 unidades de blocos de concreto e 18.986 bloquetes para calçadas, estacionamentos e praças, além de 2 mil m² de alambrados que tornaram mais seguros parquinhos, unidades básicas de saúde (UBSs) e escolas.

A Novacap executa, ainda, obras de maior porte, como a das tesourinhas. Até o momento, foram entregues três viadutos, nas quadras 3/4 Sul, 7/8 Norte e 15/16 Norte.

Nem só de concreto, porém, vive a Novacap. Por lá, a produção de mudas tem igual importância. Nos primeiros seis meses deste ano, foram produzidas 1.223.267 milhão mudas de flores, ervas e herbáceas. Mais de 31.601 mil m² de canteiros e jardins públicos receberam manutenção. O DF ficou ainda mais bonito com as 37.721 mudas produzidas, as 29.122 árvores e os 95.323 m² de grama plantada.

Plantar é essencial, mas cuidar, igualmente. Por isso a empresa recolheu 11.499m³ de lixo verde, podou 48.308 mil árvores e limpou 86.568m² de área de canteiros.

“O ajardinamento, ou zeladoria das cidades, é uma grande preocupação do governador Ibaneis, tanto que estamos criando na estrutura da Novacap a Diretoria das Cidades, e nosso foco vai ser fazer com que as cidades do DF estejam novas em todos seus aspectos: jardins, parques, pavimentos, equipamentos públicos, escolas, paradas de ônibus, podas de árvore, bocas de lobo”, pontua o diretor-presidente da Novacap, Fernando Leite.

Foto: Lúcio Bernardo Junior.

Limpeza constante
Assim como a Novacap, o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) é um braço essencial para a zeladoria do DF. A autarquia promove, diariamente, ações de varrição e catação de resíduos em todo o DF. E também segue um cronograma de remoção de entulhos nos diversos pontos de descarte irregular, além de pintura de meios-fios, lavagens de monumentos e das principais áreas de grande circulação.
425 mil kmTotal de vias públicas varridas pelo SLU de janeiro a maio deste ano

O trabalho é reconhecido pelo esforço de 4.184 garis. De janeiro a maio deste ano, por exemplo, foram coletadas 328 mil toneladas de lixo domiciliar no DF. Na varrição de rua, calculada por quilometragem, foram 425 mil km quilômetros de vias e logradouros públicos que ficaram mais limpos nesse mesmo período.

“Cuidar da cidade está na essência do SLU, e estamos sempre na rua varrendo, coletando lixo e entulho, pintando meios-fios para garantir mais saúde para a população e uma cidade cada vez mais bonita e que dá orgulho a todos que moram no DF”, aponta o diretor-presidente do SLU, Jair Tannús.

Além do essencial trabalho humano, o SLU investe na modernização de diversos serviços. Foram adquiridos nove caminhões específicos para a varrição mecanizada das ruas, além de 56 sopradores, que facilitam o serviço de varrição e catação.

Obras por toda parte
A Secretaria de Obras reforça esse time da zeladoria. A pasta é responsável por investir na infraestrutura do DF por meio de serviços que envolvem drenagem, pavimentação, construção de calçadas e meios-fios.

Essas obras têm sido executadas pela secretaria em diferentes localidades, como Vicente Pires e Bernardo Sayão, bem como os trabalhos realizados na W3 Sul, onde foram revitalizadas as quadras 511 e 512. As quadras 509 e 510 Sul devem ser entregues na segunda quinzena de agosto, e as demais vão seguir o cronograma de licitações.

“Desde o primeiro dia de gestão, a orientação que nos foi dada pelo governador Ibaneis Rocha foi cuidar da cidade, recuperar calçadas, meios-fios, manter o gramado sempre bem-cortado, as árvores podadas”, descreve o secretário de obras, Luciano Carvalho. “Não temos medidos esforços para cuidar da cidade. Prova disso é a revitalização da W3 Sul, há anos abandonada. Também estamos trabalhando duro na melhoria do trânsito, com a construção de dezenas de viadutos, alargamento de vias, entre outras medidas. Assim será durante todo o governo.”

Adote uma Praça
Nessa missão contínua de cuidar bem da cidade, os setores público e privado também andam de mãos dadas. Administrado pela Secretaria de Projetos Especiais (Sepe), o programa Adote uma Praça tem firmado parcerias com empresários e moradores da capital para a manutenção e recuperação de locais públicos. São praças, jardins, rotatórias e canteiros de avenidas, becos e parques que estão ou vão ficar com cara nova.

Desde o lançamento, em maio de 2019, o Adote uma Praça recebeu 57 propostas, assinou 33 termos e entregou 12 projetos. Outros 14 estão sendo finalizados. Ao todo, 15 administrações participam do programa.

“O Adote Uma Praça é um exemplo de envolvimento da comunidade e do setor privado nas melhorias da nossa cidade”, conta o titular da pasta, Everardo Gueiros, que lembra: “Não é usado um centavo de dinheiro público nessas melhorias e cuidados. A comunidade e o setor privado investem nisso para conservar e dar uma nova cara para a cidade onde vivem”. Para ele, o diferencial do programa é mobilizar o senso de pertencimento da comunidade.

“Muito cidadão adota um espaço público e preserva como se fosse seu, por isso o Adote veio para oficializar esse cuidado”, valoriza. “Tem até um exemplo, no Gama, de uma família que fez um jardim, há mais de 30 anos, em um beco ao lado da casa, e a manutenção do lugar passou de geração em geração. Eles viram uma oportunidade, pelo programa, de regularizar esse cuidado com um bem público. Lembrando que não é usado um centavo de dinheiro público nessas melhorias e cuidados. A comunidade e o setor privado investem nisso para conservar e dar uma nova cara para a cidade onde vivem.”

Mais abrigos de ônibus
Cuidar dos espaços físicos de quem utiliza o transporte público também é uma etapa importante da zeladoria. E esse trabalho fica a cargo da Secretaria de Mobilidade (Semob), que, em 2020, implantou 91 abrigos de ônibus em 17 regiões administrativas distintas.

Outros 606 abrigos foram revitalizados em 31 RAs. A Semob também publicou uma licitação para construir 525 novos abrigos, reformar e adaptar outros 650 abrigos já existentes e substituir 100.

Ao todo, o DF possui 4.943 pontos de parada, sendo 3.038 abrigos, 1.232 pontos habituais e 673 placas de sinalização da parada.

Sinalização
O Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF) também investe em cuidados das vias. De janeiro a julho deste ano, o órgão sinalizou 651 faixas de pedestre, 17.027 lombadas e 32.239 vagas de estacionamento, além de instalar 1.816 placas de sinalização.

Essa e todas as outras ações de ajardinamento são acompanhadas de perto pelo governador Ibaneis Rocha. É comum o chefe do Executivo percorrer as cidades a bordo do seu carro para observar o andamento de obras, a necessidade de reparos e estar mais perto do povo. A blitz do governador já passou por diferentes regiões administrativas. São cuidados que a gestão atual do DF se compromete a manter, dia após dia.


Arte: Agência Brasília


Fotos: Lúcio Bernardo Junior.

Postar um comentário

0 Comentários