Pacientes oncológicos precisam ter atenção redobrada com a saúde durante estação

Mais suscetíveis a contrair doenças respiratórias, portadores de câncer podem aumentar riscos de contrair Covid-19

Foto: Naiara Gonçalves.

Com a chegada do inverno, no último dia 20 de junho, é comum as pessoas sofrerem com as oscilações climáticas. O tempo seco associado com a baixa umidade relativa do ar acabam sendo fatores que contribuem para o aumento das alergias respiratórias.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), as alergias atingem, em média, 30% da população mundial. E é durante o inverno, quando concentram os maiores níveis de poluentes no ar, que as pessoas costumam ter suas vias respiratórias irritadas com mais frequência. Com isso há uma redução dos mecanismos de defesa do organismo, o que propicia o aparecimento de doenças respiratórias como a asma, bronquite, rinite e sinusite.

As doenças respiratórias mais comuns no período de frio que acometem pacientes com câncer, de acordo com o médico oncologista clínico, Gabriel Felipe Santiago, são os resfriados, a gripe e infecções bacterianas de vias aéreas como sinusite e pneumonia. “E o risco fica ainda maior quando o paciente encontra-se mais debilitado”, alerta. “Pacientes em tratamento oncológico estão ainda mais suscetíveis a essas doenças, devido ao tratamento que contribui para a queda da imunidade e também costuma acentuar a sensibilidade ao frio”, acrescenta.

Por isso, segundo o oncologista, os pacientes oncológicos precisam redobrar os cuidados com a saúde no inverno, principalmente em tempos de pandemia da Covid-19. Diferentes doenças respiratórias já são consideradas como fatores de risco para complicações pelo coronavírus (Sars-CoV-2). Associada a pacientes com câncer, o quadro fica ainda mais delicado. “É essencial, então, que essas pessoas adotem cuidados extra para evitar a infecção pela Covid-19. Além de lavar as mãos com mais frequência com água e sabão, elas devem evitar tocar o rosto, aglomerações, contato próximo e confinamento por mais de 15 minutos com outras pessoas, que devem estar distantes cerca de dois metros”, adverte.

O oncologista reforça a importância da imunização contra a gripe. “No entanto, sempre recomendo que o médico que acompanha o paciente seja consultado para as orientações individualizadas”, orienta.

Dicas úteis para fugir das doenças respiratórias nesse inverno:

Mantenha o organismo hidratado. Aproveite para tomar sopas e chás bem quentinhos. Além de aquecê-lo, eles são nutritivos e irão manter a hidratação do corpo;

A alimentação deve ser balanceada com sopas e caldos ricos em verduras e legumes. As frutas são essenciais, principalmente aquelas que contêm vitamina C, como a laranja. Elas ajudam a prevenir gripes e resfriados;

Mantenha o ambiente arejado. As bactérias ficam concentradas em ambientes fechados, por isso é importante evitar esses locais fechados. Evite locais com aparelhos de ar condicionado quente, porque eles deixam as vias respiratórias secas, causando alergias. Para uma boa noite de sono, opte por umidificadores;

Opte por roupas confortáveis e dê preferência para casacos e blusas feitos com lã. Use gorros, boinas ou até mesmo o capuz do casaco, quando for sair à rua. Assim, é possível evitar dores de ouvido;

Os banhos quentes são bem relaxantes, mas tenha atenção com a pele. Os tratamentos podem ressecá-la e a água muito quente pode ser prejudicial;

Evite locais fechados, com aglomerações e contato com pessoas gripadas ou resfriadas. Use máscara sempre, é mais seguro;

Lençóis, edredons e roupas devem ser expostos ao sol e lavados sempre que necessário. As pessoas que já possuem problemas respiratórios como bronquite, asma e sinusite devem evitar o contato com bichos de pelúcia, tapetes e produtos que possuem pelos;

Evite fumar ou se expor a ambientes com poeira ou fumaça.

Postar um comentário

0 Comentários