Últimas

%23BrasíliadeTodosNós

Sônia Chaves estuda projeto para a construção da primeira maternidade em Novo Gama

07/03/2019

/ por três vinténs
O município cresceu muito nos últimos anos, o desejo é que pela primeira vez, possam nascer crianças naturalmente, novogamenses

Na última quarta-feira (20), a prefeita Sônia Chaves se reuniu em seu gabinete na Prefeitura de Novo Gama para apresentar e debater um projeto que prevê a construção do primeiro hospital materno do município. Além dos serviços para a maternidade, serão feitos os mesmos atendimentos realizados no Ambulatório 24h. O encontro organizado pela prefeita Sônia Chaves, contou com a participação do deputado federal Célio Silveira (PSDB), a equipe da Secretaria Municipal de Infraestrutura e alguns secretários e secretárias de outras pastas que estão envolvidos na iniciativa.

Para realização da obra será disponibilizado um orçamento de R$1,5 milhões, provenientes de uma emenda impositiva a ser destinado ao município pelo deputado federal Célio Silveira. A emenda garante que todo este valor seja utilizado exclusivamente para a realização do projeto. O acordo com o parlamentar, iniciado ainda em 2018, foi uma iniciativa da prefeita Sônia, não somente para atender a demanda de um município que cresceu muito nos últimos anos, mas também para que, pela primeira vez, possam nascer crianças, naturalmente, novogamenses. Atualmente, a população tinha de recorrer às maternidades de outras cidades como o Hospital Regional do Gama (HRG).

Atualmente, estão sendo feitos estudos preliminares sobre todos os impactos que a obra poderá causar, seja no meio ambiente, seja na influência que irá provocar na infraestrutura da região. Após a finalização desta etapa, será divulgado um orçamento inicial da construção para fazer a liberação da emenda.

O projeto
            
A maternidade está prevista para ser construída em uma área de 20 mil metros quadrados, que fica próxima ao 19º Batalhão de Polícia Militar do Estado de Goiás, no Conjunto 12HC. O local terá de ser negociado, já que foi cedido pela própria prefeitura para a construção da sede municipal do Ministério Público do Estado de Goiás. “Como não houve o início da obra, o poder público pode retomar a área e destinar outro espaça para o MP”, explicou Alessandro Barreiros, engenheiro responsável pela Divisão de Obras Públicas da Secretaria Municipal de Infraestrutura.

Inicialmente, estão previstos que o prédio tenha a parte administrativa e mais 15 leitos, construções a serem realizadas com os recursos da emenda impositiva. Caso o estudo de demandas aponte uma necessidade maior no município, a equipe da prefeitura terá de angariar novos recursos junto a outros parlamentares. Também nos planos futuros para a maternidade está a sua integração com um núcleo de atuação 24h, já que o intuito é desativar o atual ambulatório, pois trata-se de um prédio antigo e que não comporta novas expansões ou reformas.

Nenhum comentário

Postar um comentário

%23%20Brasília%20de%20Todos%20Nós
Não Perca
© direitos reservados
feito com por Brasília de Todos Nós