Últimas

%23BrasíliadeTodosNós

Jogos de mesa são alternativa para diversão no DF

27/09/2017

/ por Paulo Melo
Casas têm várias opções, entre elas, os de tabuleiro, interpretação e cartas são opções baratas e diferentes para se divertir

Para as pessoas que não gostam de baladas e festas ou qualquer outro eventos com centenas de pessoas, há sempre uma opção diferente para aproveitar as noites em Brasília. As casas de jogos são ambientes mais voltados para o relacionamento, com espaço para as pessoas poderem aproveitar de jogos de tabuleiro a cartas, sem esquecer os chamados jogos de interpretação. “Gosto de passar um bom tempo jogando com os amigos”, diz o estudante Vinícius Sartori. “Os espaços são tranquilos e com preços acessíveis. Além de tudo, são locais seguros de se estar”, complementa o também estudante Matheus Sampaio.

Os espaços oferecem alguns dos jogos mais procurados pelo público jovem, como Zombicide e Catam, que são de tabuleiro focados em estratégia, onde os jogadores, em turnos, têm que fazer manejo de itens para continuar. Experiências como Coup e Nosferatu, no qual a interpretação dos jogadores é o principal foco e deve-se saber quando blefar ou não, também são oferecidos. E para quem procura coisas mais rápidas, sempre há os jogos de carta, como Munchikin. Nele, é necessário aumentar o nível atrapalhando os oponentes. Essas são algumas das várias opções que as casas de jogos têm para oferecer.

O primeiro espaço do gênero em Brasília e o terceiro do Brasil está na Asa Norte, na 205. A Orgutal foi criada em 2011 pelo arquiteto Luiz Cláudio da Mata, de 32 anos, para unir pessoas com objetivo de jogar. “Antigamente, a gente marcava com pessoas completamente desconhecidas por fóruns e não dava para saber quem era o maluco que estávamos chamando para nossa casa”, lembra Luiz. Como solução, ele decidiu abrir um espaço que o jogo e a interação ocorressem de maneira segura.

Já na 407 Norte, próximo ao Orgutal, na 407 Norte, existe o pub e casa de jogos Carcasonne, aberto desde 2012. O bar foi criado pela ex-professora de química Salimar Nunes, e o marido dela, Fábio Almeida. “Desde o início o Carcassonne teve como principal objetivo, a parte do bar, e os jogos estão como desculpa”, conta Salimar, que destaca que se tivesse que abrir um local sem a união de comida e jogos, nem faria questão de abrir. Segundo Salimar, a inspiração do Carcassone veio de uma viagem à Europa, onde ela e o marido puderem ver bares que fossem a cara dos donos.

Já na Asa Sul, a loja Ludoteca ocupa o segundo andar e o subsolo na 315 com uma enorme pintura preta e amarela. “Nosso plano era fazer a maior loja de todas! Queremos que a loja seja referência em board games no mundo inteiro”, diz André Luiz Segovia, 32 anos, que é formado em engenharia civil. A loja surgiu como um site de aluguel de jogos, que teve sua primeira loja física em 2014, anos depois ela cresceria exponencialmente junto com novas ofertas que proporcionavam. O principal diferencial da Ludoteca é a quantidade de jogos que eles oferecem e a possibilidade de aluguel de jogos.

Vinicius Sartori e Matheus Sampaio normalmente vão com grupo de amigos para aproveitar o local, e ter a possibilidade de desfrutar jogos de mesa ou assistir campeonatos de jogos, ficando por volta de quatro ou cinco horas. Ambos dizem aproveitar bem o local, podendo curtir não só por ser uma saída mais barata, mas também por passar um tempo de qualidade com os amigos.

Orgutal:

Aberto de terça a domingo, de 14:00 até 00:00

Entrada: R$ 10,00

Carcassonne:

Aberto de terça a sexta, de 18:00 até as 00:00

Sábados de 18:00 até 01:00

Entrada: Ter/Qua/Qui R$ 15,00 Sex/Sáb R$ 20,00

Combo: R$ 29,90 (com direito a jogar, refil de refrigerante ou chá, hambúrguer e batata frita)

Ludoteca:

Aberto de terça a sábado de 12:00 até 23:00

Domingos de 12:00 até 19:30

Entrada :Ter/Quar/Qui R$ 10.00 Sex/Sáb/Dom R$ 15,00

Por Victor Luz

Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© direitos reservados
feito com por Brasília de Todos Nós