Últimas

%23BrasíliadeTodosNós

Dia do corretor de imóveis é celebrado hoje

Hoje, 27 de agosto, é comemorado o Dia do Corretor de Imóveis. Na profissão há 40 anos, o empresário do ramo imobiliário Alberto Fernandes defende que a comemoração se deve à evolução da categoria

“O corretor nada mais é do que um vendedor de informação. Ele leva e traz a informação para que os negócios sejam concretizados. Sem o corretor, a maioria dos negócios não seriam fechados. O corretor é peça fundamental, é um dos fomentos da economia, o elo de ligação. O que a categoria tem para comemorar é a evolução, pois vejo que a cada dia a profissão cresce e se organiza melhor. Vem em uma crescente e com evolução constante”, pontuou.

Alberto enalteceu o esforço dos corretores. “Muitos corretores começam sem saber nada da profissão e, ao longo do tempo, com a experiência adquirida e os aprimoramentos, se torna um profissional conceituado. Estou na profissão há mais de 40 anos e todo dia aprendo alguma coisa nova. Defendo que para ser um corretor, você precisa ter o dom”, argumentou.

O empresário ainda falou sobre um fato comum que tem acontecido em tempos em que o desemprego atinge mais de 13,5 milhões de brasileiros. Segundo ele, muitos desempregados decidem virar corretores. “A realidade é que a pessoa vira um vendedor, tentando vender um carro, uma casa, uma panela. As pessoas pensam em se tornar um corretor porque não depende de empregador, carteira de trabalho. A diferença é que, no caso do vendedor, as informações estão presentes e são visíveis”, explica. 

O corretor precisa saber as informações que não estão à vista. Precisa por exemplo, conhecer e entender leis, contratos, construção, economia, finanças, ou seja, tudo o que envolve um imóvel e sua negociação. “Além disso, o corretor tem que saber as informações e necessidades da pessoa que quer comprar ou alugar o imóvel, para adaptar a busca e encontrar o imóvel ideal para cada cliente”, explicou.

De acordo com Fernandes, a realidade dos corretores de imóveis em Brasílis varia a cada caso. “Como em qualquer profissão, alguns estão bem, outros nem tanto. Hoje, somos aproximadamente 10.000 corretores na cidade. O mercado varia de tempos em tempos. Então é natural que em um momento esteja em alta e em outro, em baixa. Desde que me entendo por gente e tenho empresa, nós estamos em crise. O meu lema é levantar cedo e ir trabalhar. Por maior que exista a crise, quanto mais você trabalha, menor ela será”, concluiu.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© direitos reservados
feito com por Brasília de Todos Nós