Últimas

%23BrasíliadeTodosNós

CIDADES DO DF: Plano Piloto berço das identidades culturais brasileiras

20/07/2017

/ por Brasilia de Todos Nós
Cinquenta e dois anos depois, a promessa se cumpre: além de centro administrativo e político do país, Brasília transformou-se também em sede multicultural do Brasil, um lugar onde todos os sotaques, sabores e religiões se misturam e convivem em harmonia

A cidade planejada por Lucio Costa e Oscar Niemeyer é cheia de peculiaridades, a começar pelos endereços: as ruas não têm nomes, as localizações são feitas por números e letras; as tesourinhas, retornos em formato de trevo, eliminam a necessidade de semáforos e tornam o trajeto de casa para o trabalho mais ágil.

Setores específicos dividem os espaços reservados ao comércio e às residências. Há ainda as zonas exclusivas para hospitais e escolas. Dois traçados principais destacam-se na paisagem: o Eixo Monumental, de oeste a leste, e o Eixo Rodoviário-Residencial, de norte a sul.

PLANO PILOTO
População 250 mil habitantes
Área 472,12 km²
Orçamento (2017) R$ 17,6 milhões
Administrador Gustavo Amaral

Ao longo do Eixo Monumental estão os pontos turísticos, os equipamentos culturais e os monumentos. Em um breve tour é possível passar pelo Setor Militar Urbano – ampla área urbana reservada a servidores militares –, onde as casas e o Quartel General do Exército se confundem com o paisagismo de Burle Marx. Entre as vias N1 e S1 está a Praça do Cruzeiro, onde foi celebrada a primeira missa da cidade, o Memorial JK, o Memorial dos Povos Indígenas e o Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

Na região central, onde está a Rodoviária do Plano Piloto, o Eixo Monumental cruza-se com o Eixo Rodoviário-Residencial, que distribui ao sul e ao norte quadras residenciais, além dos setores bancário, comercial, de diversões, hoteleiro, médico-hospitalar e de rádio e televisão. Uma peculiaridade: os edifícios residenciais localizados ao longo das duas Asas, Sul e Norte, não podem ter mais do que seis andares. Os prédios comerciais podem ter alturas variadas, desde que não excedam 65 metros.

Brasília (Foto: Augusto Areal)

Compõem o Plano Piloto: Asa Norte, Asa Sul, Setor Militar Urbano, Setor de Garagens e Oficinas, Setor de Indústrias Gráficas, Área de Camping, Eixo Monumental, Esplanada dos Ministérios, Setor de Embaixadas Sul e Norte, Vila Planalto, Granja do Torto, Vila Telebrasília, Setor de Áreas Isoladas Norte, bem como as sedes dos Três Poderes da República: Executivo, Legislativo e Judiciário.

A rigidez urbanística tem razão de ser, cidade monumento, Brasília é tombada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) desde 1987 como Patrimônio Cultural da Humanidade. As formas modernistas imprimem à capital personalidade exclusiva, onde a paisagem natural se integra perfeitamente à arquitetura.

Após a rodoviária do Plano Piloto, o Eixo Monumental continua a revelar equipamentos culturais. O Conjunto Cultural da República, a Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida e o Teatro Nacional Cláudio Santoro são pontos turísticos obrigatórios ao visitante. Projetados por Niemeyer, os monumentos atraem pessoas do mundo inteiro todos os anos.

A Esplanada dos Ministérios é a última parada do Eixo Monumental. São 24 prédios separados por um imenso canteiro central que tem ao fundo o Congresso Nacional, com as cúpulas da Câmara dos Deputados (voltada para cima) e do Senado Federal (voltada para baixo). Na Praça dos Três Poderes, localizada próximo à sede do Legislativo, estão o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal (STF), simbolizando o equilíbrio entre as forças da República: Executivo, Legislativo e Judiciário.

A Esplanada dos Ministérios, além de centro do poder, abriga muita cultura. Estão abertos ao público museus, espaços históricos, os palácios e locais temáticos que contam um pouco da história de Brasília, do Brasil, de grandes personalidades, como o ex-presidente Juscelino Kubitschek, e de órgãos públicos. Há visitas guiadas diariamente ao Congresso Nacional, ao Palácio do Planalto e ao Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores.

Ao longo do Eixo Monumental há grandes áreas verdes. O conceito de cidade parque é preservado até hoje e também está nas quadrasresidenciais, fixadas ao longo do Eixo Rodoviário-Residencial Norte e Sul. Nelas, há 11 prédios em lâminas, numerados pelas letras do alfabeto, tendo os dois últimos dispostos lado a lado às letras J e K, uma homenagem ao fundador da capital. Além disso, são respeitados o limite do gabarito uniforme de seis pavimentos e o princípio do térreo vazado sobre pilotis.

O desenvolvimento de Brasília contou com a participação decisiva dos candangos (operários que construíram a capital), dos servidores públicos e dos empresários, brasileiros que na década de 1960 apostaram no sonho da nova capital. Esses pioneiros ganharam companhia. A jovem cidade tornou-se o lugar ideal para formar família e trabalhar. A população residente no Plano Piloto representa menos de 10% dos moradores do Distrito Federal, mas concentra 70% dos empregos.

A principal atividade econômica do Plano Piloto, a primeira Região Administrativa, é o funcionalismo. Segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o DF tem cerca de 14% da populaçãoempregadanaadministraçãopública, enquantonoBrasilo índice não ultrapassa 5%. Pesquisa de emprego e desemprego (PED) da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan) aponta que em janeiro de 2012 o rendimento médio dos assalariados no setor público foi de R$ 5.356,00. A estabilidade e os altos salários oferecidos pelo Estado são responsáveis por mais da metade da riqueza produzida no Distrito Federal, o que contribui para manter o Produto Interno Bruto (PIB) aquecido e a renda per capita, elevada.

A segunda atividade econômica é o comércio. Responsável por 7,5% do PIB, o setor faz de Brasília a quarta cidade do país com o maior potencial para o consumo. Mais de 17 mil pessoas (16% da atividade remunerada na região) trabalham nos shoppings, nas lojas das W3 Sul e Norte, nos comércios das entrequadras, nos setores comerciais Sul e Norte e nos centros de compras espalhados pela cidade.

Apesar das vocações naturais de uma cidade administrativa, Brasília oferece oportunidades quase inesgotáveis para o crescimento da indústria cultural. O calendário de shows e eventos cívicos é incrementado periódica e constantemente por programações voltadas à valorização das culturas brasileira e regional.

No Plano Piloto há sete pontos de cultura que desenvolvem e incentivam a arte entre crianças e jovens. A Associação Artística Mapati oferece oficinas de teatro, assim como a Cooperativa Brasiliense de Teatro. O Estúdio de Tecnologia Cênica, voltado para a qualificação profissional em produção de teatro, é outra referência importante. No cinema os destaques são o Ponto de Cultura Cinema a Céu Aberto, e na música, a Associação Cultural Cláudio Santoro. Acessos gratuitos ou a preços populares marcam boa parte das ofertas culturais da cidade.

A capital possui três bibliotecas públicas, entre elas a Biblioteca Nacional de Brasília, que dispõe de salões de leitura e estudo, espaços multimídia e rede wireless em todo o prédio. Além das bibliotecas, existem 18 teatros, 18 museus, dez galerias de arte, oito espaços culturais e 12 bens tombados como patrimônio.

Brasília também se destaca na música. Na cidade – que é a síntese do Brasil –, o erudito, o choro, o regional, o rock e tantos outros ritmos se misturam. Não por acaso, grandes festivais são realizados na cidade, parada obrigatória para artistas nacionais e internacionais.

Os mercados alternativos para compras são uma atração à parte. A Feira da Lua, promovida há dez anos, expõe produtos diversos em moda, artesanato, artes plásticas e decoração. A BsB Mix, criada em 1996, é uma vitrine do novo, do moderno e do criativo. Por sua vez, a Feira da Torre é sinônimo de comidas típicas e artesanato. Além das feiras periódicas, outros eventos de grande porte, como a Feira do Livro e a Expo Chê, preenchem o calendário brasiliense.

Os festivais também se integram à rotina da cidade. O Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, o Festival Internacional de Teatro – Cena Contemporânea – e o Festival Internacional de Palhaços FestClown, voltado para grupos circenses, movimentam a classe artística em vários períodos do ano. A Bienal Brasil do Livro e da Leitura, novidade no calendário de Brasília, nasceu para comemorar o aniversário da capital.

Referência em educação no país, Brasília possui dois Centros Interescolares de Línguas; três Centros de Educação Infantil Especial; 16 Centros de Ensino Fundamental; 11 Centros de Ensino Médio; cinco Escolas Classes; 39 Escolas Parque; seis Escolas de Jovens e Adultos; e a Universidade de Brasília (UnB). A capital conta ainda com o Instituto Federal de Brasília (IFB), uma intituição pública que oferece cursos de Educação Profissional técnica e tecnológica de graduação e pós-graduação, localizado na Asa Norte.

Administração Regional: 
SBN, quadra 2, bloco K
Asa Norte – Brasília-DF, CEP: 70040-020
Fones: (61) 3329-0400/3329-0421
Fax: (61) 3329-0419

Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© direitos reservados
feito com por Brasília de Todos Nós