Últimas

%23BrasíliadeTodosNós

Mortes no trânsito de Brasília caíram 68% em maio

Dado comparativo com o mesmo mês de 2016 foi apresentado nesta quarta-feira (31), no encerramento do movimento Maio Amarelo na capital federal

Desde o início do ano, a redução foi de 73 mortes em comparação ao mesmo período do ano passado. “Nesses cinco primeiros meses, acumulamos os melhores indicadores de toda a história do trânsito no Distrito Federal”, ressaltou o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg. Foto: Tony Winston.

O número de mortos no trânsito do Distrito Federal teve redução de 68,75% em maio deste ano em relação ao mesmo mês de 2016. Do dia 1º até o dia 28, foram 15 vítimas fatais — 33 a menos comparado ao mesmo período do ano passado, quando foram 48.

O dado foi apresentado nesta quarta-feira (31), no Salão Nobre do Palácio do Buriti, na cerimônia de encerramento do movimento Maio Amarelo na capital federal.

Desde o início do ano, a redução foi de 73 mortes em comparação ao mesmo período do ano passado. “Nesses cinco primeiros meses, acumulamos os melhores indicadores de toda a história do trânsito no Distrito Federal”, ressaltou o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg.
“Estamos muito felizes com a queda desses indicadores, mas não satisfeitos com os números. Queremos uma redução maior, para que Brasília possa ser cada vez mais uma referência nacional de paz no trânsito”Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília

De acordo com o Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF), de janeiro a maio deste ano, foram 89 mortes no trânsito, contra 162 no mesmo intervalo de tempo em 2016.

Rollemberg destacou a ação conjunta dos órgãos de governo e também o apoio da sociedade como fundamentais para o resultado. Ele acredita que é preciso aliar ações educativas — de fiscalização e de punição — com a participação da população no sentido de ampliar a consciência no trânsito.

“Estamos muito felizes com a queda desses indicadores, mas não satisfeitos com os números. Queremos uma redução maior, para que Brasília possa ser cada vez mais uma referência nacional de paz no trânsito”, disse o chefe do Executivo.

O diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF), Henrique Luduvice, reforçou que os acidentes de trânsito não podem ser tratados de forma natural. “A sociedade precisa cada vez mais incorporar o programa e os princípios da paz e da cidadania, e o Maio Amarelo trouxe justamente isso”, disse.

Nesta manhã, também foram lançados os livros A Arte de Ensinar a Dirigir, de David Duarte Lima, e Guia do Instrutor e Educação para o Trânsito no Ensino Médio, volumes I, II e III, de David Duarte Lima e Juciara Rodrigues.

As publicações foram patrocinadas pelo DER-DF, com verba de arrecadação de multas.
A cada dez veículos abordados, um condutor foi autuado por embriaguez

Durante o mês, órgãos de trânsito intensificaram a fiscalização no Distrito Federal e promoveram campanhas educativas, ações fundamentais para a queda dos índices.

A cada 10,4 veículos abordados neste mês por agentes do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF), um condutor foi autuado por embriaguez.

Dos 513 autos de infração por alcoolemia, 400 foram para homens (77,97%), e 113 para mulheres (22,03%). No mesmo período do ano passado, foram 258 autuações.
Dos 513 autos de infração por alcoolemia, 400 foram para homens (77,97%), e 113 para mulheres (22,03%)

Outro número de destaque divulgado pelo departamento foi o de pessoas inabilitadas pegas ao volante: 93 neste mês, contra 50 no mesmo período de 2016. Os flagrantes do não uso do cinto de segurança pelo condutor do veículo totalizam 126. No ano passado, foram 50.

Ao todo, os agentes do DER-DF abordaram 5.335 veículos e emitiram 4.285 autos de infração.
Mais de 130 mil autuados pelo Detran

Dados do Detran-DF apontam que neste mês foram 1.812 operações do tipo blitz, com 130.825 condutores autuados, e 1.992 veículos recolhidos aos depósitos.

Em operações de fiscalização, foram multados 1.905 condutores por dirigirem após a ingestão de bebida alcoólica ou substância psicoativa — número 29,4% maior que o registrado em 2016. Oitocentos e oitenta e três condutores inabilitados foram flagrados pelos agentes do órgão.

O diretor-geral do Detran-DF, Silvain Fonseca, disse que os casos que envolvem bebida e direção têm preocupado, mas destacou que “95% das pessoas que são autuadas por alcoolemia no Distrito Federal são abordadas antes de se envolver em qualquer tipo de acidente de trânsito”.

Pela Operação Pontos para a Vida, que consiste em retirar das vias os condutores suspensos ou cassados que insistem em continuar dirigindo, foram identificados 68 condutores com a carteira suspensa ou cassada. O aumento foi de 224% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Algumas das ações contam com apoio da Polícia Militar do DF. Os dois batalhões voltados ao trânsito contam com cerca de 600 policiais. “Além do trânsito, nosso trabalho avança um pouco mais e faz um cinturão de segurança no DF. Somente na última semana foram dez armas apreendidas”, disse o comandante-geral da corporação, coronel Marcos Antônio Nunes de Oliveira.
Ações educativas atingiram mais de 200 mil pessoas

O Detran-DF contabiliza 148 atividades educativas feitas pelo órgão com o apoio de parceiros, que atingiram um público estimado de 103.429 pessoas. Em 2016, esse número foi de 50.810, em 58 ações.

Já pelo DER-DF, 102.100 pessoas foram atingidas pelas atividades educativas — mais que o dobro do mesmo período do ano passado, quando o público foi de 48 mil pessoas. Foto: Tony Winston.

As iniciativas incluíram palestras, cursos, abordagens, blitze educativas, eventos, ações em vias públicas e atividades em escolas, empresas e órgãos públicos.

Por meio da campanha Ultrapasse. Não Passe, o respeito ao ciclista foi destacado. A intenção é conscientizar condutores sobre a distância de segurança de 1,5 metro do carro em relação a quem circula de bicicleta nas vias. Houve ainda a revitalização de 112 faixas de pedestres e a instalação de 539 placas de trânsito.

Já pelo DER-DF, 102.100 pessoas foram atingidas pelas atividades educativas — mais que o dobro do mesmo período do ano passado, quando o público foi de 48 mil pessoas.

Os mais de 100 mil participantes estiveram em ações como o 2º Passeio Motociclístico Maio Amarelo, no dia 10, com 1,5 mil participantes. No dia 12, foi a vez do 3º Pedal Noturno Maio Amarelo, quando mil pessoas participaram.

No domingo (28), na 4ª Corrida Maio Amarelo, no Eixão Norte, 3 mil pessoas, de acordo com o DER-DF, estiveram nas atividades propostas para o dia.

Houve ainda doação de sangue e blitze educativas, com o propósito de conscientizar sobre questões voltadas para o trânsito seguro. No início do mês, por exemplo, além de ressaltar essa questão, uma atividade com o apoio de parceiros promoveu ações de cuidado da saúde a motoristas e passageiros abordados.
Maio Amarelo

A iniciativa tem o amarelo em alusão ao significado de atenção nos semáforos, e a marca que simboliza o movimento é um laço dessa cor.

Ação coordenada entre o poder público e a sociedade, com atividades de conscientização para um trânsito mais seguro, a iniciativa tem o objetivo de chamar a atenção para o alto índice de mortos e feridos nas vias em todo o mundo.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© direitos reservados
feito com por Brasília de Todos Nós