Últimas

%23BrasíliadeTodosNós

DICA: Como as empresas devem se preparar para a licença-paternidade

O especialista em finanças Marcos Sarmento Melo dá dica sobre como se planejar para a saída do funcionário


A partir de janeiro de 2017, homens que trabalham em locais que fazem parte do “Programa Empresa Cidadã” terão direito a 20 dias da licença-paternidade, medida sancionada ainda pelo governo de Dilma Rousseff. Logo, um importante desafio dos gestores é preparar a empresa para o período em que o funcionário estiver fora. A ideia é, por exemplo, aumentar o engajamento entre os colaboradores e ganhar em termos de produtividade.

“É importante que todo gestor encare a licença-paternidade como uma conquista pela igualdade entre gêneros. Uma empresa que se preocupa com seus funcionários desenvolve também um bom relacionamento entre patrão e empregado. E é aquilo, empregados felizes são sempre mais rentáveis para o seu negócio”, avalia o especialista em finanças Marcos Sarmento Melo, sócio-diretor da Valorum Gestão Empresarial.

Uma pesquisa da Aon Hewitt aponta que empresas com alto nível de engajamento entre seus funcionários são 48% mais rentáveis. Segundo o especialista em finanças, alguns locais podem não oferecer um ambiente favorável para a licença-paternidade.

“Em um cenário de desemprego, o que os funcionários com carteira assinada menos querem é dar motivo para seus superiores o demitirem. É sempre aconselhável incentivar encontros para esclarecimento de dúvidas e compartilhamento de experiências, melhorando a integração entre setores. São medidas simples e que conquistam a confiança e o comprometimento da equipe. Deve-se evitar uma relação fria a distante”, orienta Melo.

Planeje-se – Apesar de muito se falar em crises política e econômica, as empresas tendem a ganhar mais com políticas de benefícios adotadas para funcionários.

“Depois que você contratou profissionais competentes, agora é o momento de pensar numa política de valorização para eles. Para os pais de família, por exemplo, a licença-paternidade é um grande incentivo. Você só perde dinheiro com a saída do funcionário se não houver planejamento”, sinaliza o especialista em finanças.

Fique por dentro do custo da política para a economia:

- No que diz respeito aos gastos, em artigo chamado “Projeção Econômico-demográfica da Ampliação da Licença-paternidade no Brasil”, especialistas concluíram que os valores são estimados baixos quando comparados aos de outras políticas. O déficit da Previdência, por exemplo, ficou em 89,2 bilhões em 2015;

- Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2013 (PNAD), pesquisadores fizeram uma projeção de que 7,6% dos pais devem utilizar o benefício a cada ano. Com esse cenário, o custo da política para a economia seria de R$ 99 milhões em 2016;

- Ainda segundo a pesquisa, a maior parte dos homens aptos a solicitarem o benefício tem entre 25 e 34 anos;

- O custo é crescente até 2024. Com a mudança demográfica, os valores começariam a cair.


Sobre a Valorum – A Valorum foi o caminho natural de pesquisadores e professores universitários, estudiosos de temas complexos em administração, e que eram chamados para prestar atendimento eventual a empresas de Brasília. Desde 2005, a Valorum busca ser um tipo diferente de empresa de consultoria empresarial. O desafio assumido foi o de levar a alta capacitação técnica do corpo de consultores, geralmente acessível somente a empresas large corporate, para aquelas de menor porte, incluindo as microempresas. Ao longo do caminho, a Valorum tornou-se uma empresa de inteligência em gestão empresarial, cujos serviços refletem o cuidado em ajudar a aprimorar continuamente as práticas gerenciais dos parceiros.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© direitos reservados
feito com por Brasília de Todos Nós