Últimas

%23BrasíliadeTodosNós

Serviços do Na Hora de Sobradinho são transferidos para o Plano Piloto

Mudança será temporária, enquanto outra unidade não é inaugurada. Posto que já funciona na região administrativa será desativado na sexta-feira (10)

Foto: Fernando Brito.
A unidade do Na Hora em Sobradinho vai suspender temporariamente o atendimento à população a partir de sexta-feira (10). A medida é fruto de decisão judicial acerca de cobrança de parcelas atrasadas do aluguel. Foi determinada a devolução do imóvel. Cinquenta servidores que atuam no local serão transferidos para o posto de atendimento da Rodoviária do Plano Piloto, onde o público continuará tendo acesso aos serviços. Outros cinco vão para o de Taguatinga e um para o de Ceilândia.

A Secretaria de Justiça e Cidadania tem em curso um plano de reestruturação e modernização do Na Hora. De acordo com a proposta, no prazo de até quatro meses, será inaugurada uma unidade de atendimento em Sobradinho, com melhorias na infraestrutura física e de pessoal. Ela servirá de agência modelo. Cerca de mil atendimentos são prestados diariamente na região.

“A proposta é iniciar por Sobradinho e levar gradativamente o padrão de qualidade às outras unidades do DF”, afirma o secretário de Justiça e Cidadania, Marcelo Lima. O novo endereço será decidido nos próximos dias. Há três propostas em análise. Há no Distrito Federal outras cinco unidades, além da de Sobradinho: Ceilândia, Gama, Riacho Fundo I, Rodoviária do Plano Piloto e Taguatinga.

Entenda o caso
O contrato com o locatário do imóvel onde o serviço Na Hora funciona atualmente em Sobradinho não pode ser renovado. O imóvel, cujo aluguel foi firmado em 2012, não dispunha da documentação completa exigida para contratos dessa natureza com o Estado. Essa situação levou a atrasos nos pagamentos a partir de janeiro de 2013, resultando em processo judicial movido pelo proprietário. A sentença do Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios determina a devolução do imóvel e o pagamento da dívida no valor de R$ 692 mil. A Procuradoria-Geral do DF entrou com recurso questionando o montante do valor devido e aguarda o julgamento final do caso.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© direitos reservados
feito com por Brasília de Todos Nós