Últimas

%23BrasíliadeTodosNós

Segunda parte de financiamento do Banco do Brasil será investida em 80 obras

Recurso de R$ 258 milhões levará infraestrutura a diversas regiões administrativas e poderá ser usado para concluir melhorias da primeira etapa, como na DF-480


Pavimentação de vias, obras de drenagem de águas pluviais, construção de ciclovias e infraestrutura em regiões que abrigam programas habitacionais. Esses são alguns dos investimentos agendados pelo governo de Brasília para 2016 com os R$ 258 milhões — R$ 190 milhões já disponíveis — referentes à segunda parcela do financiamento feito com o Banco do Brasil, em janeiro do ano passado. O dinheiro vai ser usado na execução de 80 projetos em diversas regiões administrativas.

Parte do recurso será destinado à recuperação da malha asfáltica em todo o Distrito Federal. O serviço nas vias não se limitará às operações tapa-buraco. O objetivo é substituir o asfalto velho por pavimentos de qualidade e de longa vida útil. A verba oriunda do financiamento com a instituição financeira federal não trará melhorias somente para quem tem carro. O governo de Brasília pretende retomar a recuperação e execução de calçadas em 12 localidades. O conforto deve chegar a pedestres da Fercal, do Gama, do Jardim Botânico, do Núcleo Bandeirante, de Planaltina, do Recanto das Emas, do Riacho Fundo I, de Samambaia, de Santa Maria, de São Sebastião, de Sobradinho e de Sobradinho II.

Haverá benefícios também para quem usa a bicicleta como meio de transporte ou para lazer. O recurso milionário vai financiar a construção de ciclovias em trechos da DF-290, rodovia que liga o Gama a Santa Maria; da DF-087, que conecta a Estrutural a Vicente Pires; e da Estrada Parque Taguatinga (EPTG).

Moradores de unidades habitacionais do programa Morar Bem (vinculado ao Minha Casa Minha Vida, do governo federal) no Recanto das Emas e no Riacho Fundo II serão contemplados com a chegada de infraestrutura: reformas de praças, pavimentação, instalação de redes de água e de esgoto, entre outras benfeitorias.

Um grave e antigo problema que atinge moradores da Asa Norte poderá ser minimizado com o recurso milionário. Com o objetivo de corrigir constantes alagamentos no Plano Piloto, o Drenar DF deve ser iniciado em breve. O programa consiste em redimensionar toda a rede de águas pluviais do Plano e, por meio da retenção de resíduos em bacias de contenção, melhorar a qualidade da água pluvial que segue para o Lago Paranoá. Após a conclusão dessa etapa, começará em Taguatinga o Drenar 2.

Primeira etapa
Em maio de 2015, o Executivo usou a primeira etapa do dinheiro emprestado pelo Banco do Brasil (R$ 242,4 milhões) para executar 103 obras. Além dos R$ 190 milhões liberados agora pela instituição financeira, outros R$ 68 milhões serão repassados ao longo do ano, de acordo com o cronograma de cada empreendimento. Essa verba também poderá servir para concluir obras iniciadas na primeira fase — caso da DF-480, que liga o Gama ao Viaduto do Periquito, onde a marginal da estrada foi totalmente pavimentada com o aporte inicial do Banco do Brasil. A segunda parte do montante contribuirá para o acabamento, com a abertura de canaletas para escoar a água da chuva, por exemplo.

A liberação da outra parte do empréstimo contratado estava atrelada a uma série de condições, como a prestação de contas dos projetos iniciados com o primeiro desembolso, acordo cumprido pelo governo.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© direitos reservados
feito com por Brasília de Todos Nós