Últimas

%23BrasíliadeTodosNós

Laudo confirma morte de cunhada de vice-governador do DF, Renato Santana, por dengue hemorrágica

Maria Cristina morreu às 3h desta quarta (27). De acordo com a assessoria do vice-governador, ela reclamou de sintomas de dengue como febre e dor no corpo no dia 21 de janeiro
No mesmo dia em que a cunhada do vice-governador do Distrito Federal, Renato Santano, morreu vítima de dengue hemorrágica no Hospital Regional da Asa Norte, o GDF confirmou que a região administrativa de Brazlândia, local onde Maria Cristina Natal Santana, de 42 anos, residia há 16 anos, foi a que mais teve casos confirmados da doença no início deste ano.

Maria Cristina morreu às 3h desta quarta (27). De acordo com a assessoria do vice-governador, ela reclamou de sintomas de dengue como febre e dor no corpo no dia 21 de janeiro. Quatro dias depois, ela fez um teste rápido com resultado positivo no Centro de Saúde nº 1, em Brazlândia, cidade em que ela residia e trabalhava como enfermeira no Hospital Regional da cidade, há 16 anos. 

Histórico

Cristina tinha o histórico de saúde sensível, tendo se submetido a uma cirurgia bariátrica há cerca de 10 anos, com quadro de anemia e hipertensão arterial. Há cerca de três anos, teve um episódio de hemorragia intestinal (enterorragia), semelhante ao apresentado ontem (26) quando foi internada, à tarde, no Hospital Regional de Brazlândia, a família autorizou a realização da necropsia para investigação da causa da morte. 

No fim desta tarde (27), foi confirmado que Cristina veio à óbito devido a uma febre hemorrágica por dengue e hipertensão arterial sistêmica. 


Em nota, Renato lamentou a morte da cunhada de quem, segundo ele, era bem próximo. "O seu desaparecimento prematuro, com a qual tinha convívio bastante próximo, interrompe uma trajetória pessoal e profissional marcada por vitórias e conquistas, exemplo para todos os que conviveram com ela". 

O velório acontece às 8 h, na Igreja Menino Jesus de Brazlândia, no Setor Norte da cidade. O sepultamento ocorrerá no cemitério de Brazlândia, às 16 h, na Capela 1.

Dados

Brazlândia foi a região administrativa de Brasília que mais teve casos confirmados de dengue neste início de 2016. De acordo com o informe epidemiológico nº 3, da Secretaria de Saúde, foram registradas cem ocorrências no período. Por isso, o governo reforçou no local o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. Nessa terça-feira (26), 105 militares do Exército vistoriaram 655 casas à procura de possíveis focos de proliferação do inseto. A operação teve início na semana passada, com média de 900 vistorias diárias, e termina na sexta-feira (29).

Segundo o chefe do Núcleo de Vigilância Ambiental de Brazlândia, da Secretaria de Saúde, Alessandro dos Santos, um dos motivos para o aumento do contágio é a proximidade de Brazlândia com Goiás. "Aqui é perto de Ouro Verde [município goiano] e 70% dos habitantes de lá tiveram dengue", explica. Outra causa para o crescimento em relação ao ano passado, atribui Santos, é o fato de a região administrativa ser considerada uma cidade-dormitório, na qual os moradores ficam fora das casas praticamente o dia todo — devido ao trabalho em outras localidades — e retornam somente à noite. 

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© direitos reservados
feito com por Brasília de Todos Nós