Últimas

%23BrasíliadeTodosNós

Problemas com acne já atingem mais que a metade da população brasileira

Dermatologista da Clínica Monte Parnaso fala sobre as causas e os tratamentos da mais comum doença dermatológica 


Característicos da adolescência, os problemas com acne muitas vezes se perpetuam por toda a vida adulta, e não é para menos. Segundo dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a acne é o problema dermatológico mais comum na população brasileira, afetando 56,4% das pessoas, além de ser o motivo que mais leva mais pacientes aos dermatologistas.

Mesmo sendo muito comum, nem todos sabem o que de fato são as temidas “espinhas”. O dermatologista da Clínica Monte Parnaso, Dr Luciano Morgado, explica que a acne é uma dermatose que pode ser ocasionada por três fatores associados. “Pode vir do aumento da secreção sebácea, obstrução do orifício folicular por sebo e células mortas, e colonização por bactérias. Por isso elas aparecem mais comumente nas áreas com maior número de glândulas sebáceas: face, peito, costas e ombros”, explica o médico.

A acne geralmente se desenvolve na adolescência, devido à puberdade, onde hormônios como a testosterona estimulam a secreção sebácea. Porém, existem outros fatores que podem ocasionar o problema. “A acne vem muito da predisposição genética, ou seja, quando ambos os pais são afetados, a chance de o filho desenvolver acne chega a 50%. Cremes cosméticos oleosos e alguns medicamentos, como os hormônios androgênicos, corticóides, vitaminas do complexo B, lítio e anticonvulsivantes como os barbitúricos e hidantoína, também podem aumentar as chances de desenvolver o problema”, conta o Dr. Luciano.

Dermatologicamente, a acne é classificadaem cinco graus, que mostram qual a intensidade do problema na pele dos pacientes. São eles:
Grau 01: No qual aparecem apenas os cravos, caracterizados pela obstrução do orifício folicular (cravo branco) ou excesso de sebo no orifício folicular (cravo preto ou aberto);
Grau 02: Caracterizado pelas espinhas propriamente ditas, com pápulas inflamatórias;
Graus 03: Além dos cravos e pápulas inflamadas, formam-se nódulos mais profundos, que podem drenar pus;
Grau 04: Os nódulos aumentam em quantidade, formando comunicações entre os mesmos, podendo ocasionar também a formação de lesões queloidianas;
Grau 05:Quadro raro que ocorre quando, além dos nódulos profundos e inflamados, o paciente apresenta também sintomas como febre e dor nas articulações.

Ainda existem outros tipos da doença, como a “acne do recém-nascido”, em que bebês desenvolvem a doença em virtude da passagem de hormônios maternos pela placenta e pelo leite; “acne infantil”, quando crianças desenvolvem o problema por possuírem níveis hormonais ligeiramente mais elevados; “acne de verão”, em que o calor e a sudorese podem provocar certo edema da parede folicular, com subsequente inflamação; “acne de mulher adulta”, formada por problemas como sensibilidade aumentada ao hormônios, ovários policísticos e picos hormonais pré-menstruais; e “acne por influência alimentar”, em que alimentos hipercalóricos e derivados do leite podem ter papel secundário no desenvolvimento das espinhas.

Tratamento

Infelizmente, não há um modo 100% eficaz de prevenir o nascimento das espinhas, mas já existem diversos tratamentos para amenizar o desenvolvimento do problema e tratá-lo. Entre os principais, podemos citar sabonetes para diminuição da oleosidade, antibióticos, loções e géis com peróxido de benzoíla e derivados de ácido como o adapaleno e a isotretinoína.

Atualmente, o principal medicamento para tratamento da acne é o Roacutan, uma vez que ele é o único que pode levar à cura do quadro, por atuar diretamente nas suas causas, ocasionando diminuição das glândulas sebáceas e impedindo a obstrução do folículo.

O Dr. Luciano explica que o acompanhamento médico é indispensável, pois o dermatologista é quem irá avaliar cada caso, realizando o tratamento mais adequado. “O uso das medicações necessita de acompanhamento, pois podem ocasionar irritações na pele. Na Clínica Monte Parnaso, além de realizar todos os tratamentos clínicos para acne, os associamos com procedimentos estéticos que ajudam a secar as espinhas e diminuir a inflamação, como alguns tipos de Peelings Químicos e a terapia com Luz Pulsada. Fazemos também diversos tratamentos para recuperação de eventuais cicatrizes, como o Laser de Co2, Subcisão, Preenchimentos e Microagulhamento”, conclui.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© direitos reservados
feito com por Brasília de Todos Nós