Últimas

%23BrasíliadeTodosNós

Hospitais atendem com quadro reduzido nesta terça-feira (13)

Apesar de a greve dos servidores ser considerada ilegal pela Justiça, diversos serviços continuam parados


Nesta terça-feira (13), unidades de saúde do Distrito Federal funcionam com restrições. Isso porque a paralisação de servidores da área continua mesmo após o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios determinar a ilegalidade da ação e o retorno imediato ao trabalho, sob pena de multa.

O Sindicato dos Médicos do DF e o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Brasília alegam não terem sido notificados oficialmente.

As emergências de algumas unidades, a exemplo do Hospital de Base, estão atendendo apenas casos mais graves. Centros de saúde de regiões administrativas como Brazlândia, Paranoá e Planaltina funcionam parcialmente.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) está normalizado, apesar da adesão de alguns servidores da enfermagem e da parte administrativa.

Veja como está o atendimento nas seguintes localidades:

Brazlândia
Hospital regional: atendimento completo na emergência; serviços parados no ambulatório.

Centros de saúde: 30% dos serviços estão mantidos.

Ceilândia
Hospital regional: emergência atende normalmente, com dois ortopedistas, um clínico e três ginecologistas. Cirurgias são feitas, inclusive as eletivas. Atendimento suspenso no trauma e na sala de vacinas. Ambulatório parado.

Unidade de pronto-atendimento (UPA): funcionamento normal.

Gama
Hospital regional: está com 30% dos servidores. Pronto-socorro de clínica médica não teve atendimento de porta pela manhã. Pronto-socorro de cirurgia geral funciona com restrições. Ortopedia tem atendimento normal. Na pediatria, um médico atende casos de emergência; outro, de baixo risco. O ambulatório está parado.

Guará
Hospital regional: emergência normalizada. Ambulatório funciona parcialmente.

Centros de saúde: a unidade 1 está sem atendimento na clínica médica. Na 2, a maioria dos técnicos e médicos voltou ao trabalho após a decretação da ilegalidade.

Centro de saúde da Estrutural: servidores continuam em greve.

Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo e Parkway
UPA: atendimento restrito com dois médicos pela manhã.

Centros de saúde: funcionam parcialmente.

Equipes da Estratégia Saúde da Família: atendem somente com enfermeiros. Médicos e técnicos de enfermagem estão parados.

Paranoá
Hospital regional: ambulatório suspenso; emergência normalizada.

Centros de saúde: abertos, mas com poucos médicos e técnicos de enfermagem.

Planaltina
Hospital regional: emergência funciona normalmente.

Centros de saúde: a maioria dos serviços está parada.

Plano Piloto
Hemocentro: equipe reduzida.

Hospital de Base: emergência, incluindo o trauma, funciona com número reduzido de servidores e atendimento restrito a casos mais graves (laranja e vermelho). No ambulatório, todas as especialidades estão atendendo normalmente. A oncologia — quimioterapia e consultas — funciona, mas a unidade de radioterapia opera com apenas 30% dos servidores. Cirurgias eletivas agendadas estão suspensas.

Hospital Regional da Asa Norte (Hran): no centro cirúrgico, ocorre um mutirão de cirurgias em fissurados. Além disso, apenas cirurgias de emergência ou procedimentos em pacientes internados estão sendo feitos. Cirurgias eletivas foram suspensas.

Na emergência, a pediatria está sem médico para atendimento na porta. Um pediatra atende os pacientes internados. Dois clínicos atendem na porta, e dois estão no centro obstétrico. No ambulatório, o atendimento é apenas na sala de curativos. A odontologia realiza cirurgias. Demais procedimentos estão sendo remarcados. Na dermatologia, apenas pacientes do ambulatório de hanseníase estão sendo atendidos.

Hospital Materno-Infantil (Hmib): atendimento normal no ambulatório. Apenas um urologista e um ginecologista estão em greve. No pronto-socorro pediátrico, dois médicos atendem somente casos graves. Na emergência de obstetrícia, o atendimento é normal, com quatro médicos.

Recanto das Emas
UPA: funciona normalmente.

Centros de saúde e clínicas da família: atendem parcialmente.

Samambaia
Hospital regional: ambulatório e emergência estão normalizados.

UPA: funciona com dois médicos.

Centros de saúde: atendimento normal.

Santa Maria
Hospital regional: atendimentos suspensos no ambulatório, pois técnicos de enfermagem continuam parados. Cirurgias eletivas não são feitas. Médicos e enfermeiros trabalham normalmente. Atendimento normal na emergência.

Sobradinho
Hospital regional: atendimento normal no ambulatório e na emergência. Cirurgias apenas de urgência. Técnicos do plantão noturno estão dobrando o expediente por falta de servidores. Uma enfermeira foi deslocada da classificação para ajudar na assistência, por ausência de técnico.

Banco de sangue, banco de leite e unidade de terapia intensiva: atendimento normal. Na radiologia, só são atendidas emergências.

UPA: funciona com um clínico.

Taguatinga
Hospital regional: emergência normal. No ambulatório, são atendidos curativos e casos de câncer. Demais pacientes estão sendo remarcados ou encaminhados para outra unidade, conforme o caso. Setor de otorrinolaringologia atende emergências; de cirurgia e reumatologia atendem normalmente; de ortopedia atende curativos e pós-operatório; de cardiologia, oftalmologia e gastroenterologia estão fechados.

Centros de saúde: funcionam parcialmente.

Fonte: Redação.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© direitos reservados
feito com por Brasília de Todos Nós