Últimas

%23BrasíliadeTodosNós

Cerca de R$ 9,5 milhões foram refinanciados até agora na terceira fase do Refis

Contribuintes têm até 30 de novembro para negociar dívidas com o governo e receber descontos


Desde o início da terceira fase do Programa de Incentivo à Regularização Fiscal (Refis), em 1º de outubro, foram feitos cerca de 2 mil refinanciamentos. O balanço dos primeiros 15 dias já atinge cerca de R$ 9,5 milhões renegociados. Até a manhã desta quinta-feira (15), foram registradas 955 operações à vista, somando R$ 1.486.979,70 em negociações fiscais.

Os parcelamentos representam a outra metade dos atendimentos e resultam no montante de R$ 8.044.227,82 aos cofres públicos. Desse valor, foram arrecadados até agora R$ 240.518,68, referentes à primeira parcela dos pagamentos. Essa terceira etapa do programa de incentivo vai até 30 de novembro.

Primeiras fases
De 16 de março a 30 de junho, mais de 95 mil contribuintes — cidadãos e empresas — renegociaram com o governo débitos que permitiram a arrecadação de R$ 1.097.649.041,00. Deste total, R$ 209 milhões foram pagos à vista e R$ 888 milhões, divididos em até 120 parcelas.

Com a adesão ao Refis, o contribuinte pode receber até 99% de desconto sobre juros e multas, além de retornar à condição de adimplente. Na condição oposta, a de inadimplente, é impossível, por exemplo, pessoas físicas assumirem cargos públicos ou receberem as chaves de imóveis financiados.

Para empresários que regularizarem o pagamento de tributos, também há benefícios. A quitação é essencial para participar de licitações públicas e financiamentos com bancos, além de receber incentivos fiscais.

Negociação
Assim como nas outras fases, a quitação de dívidas pode ser feita nas agências da Receita do Distrito Federal, abertas de segunda a sexta-feira, das 12h30 às 18h30, e nos postos do Na Hora com atendimento da Secretaria de Fazenda. Interessados devem apresentar documentos pessoais ou da empresa.

Para os que preferem serviços on-line, outra opção é acessar o site da pasta. Ao clicar no banner do programa, o contribuinte é direcionado à página exclusiva do sistema, onde escolhe a modalidade de atendimento — pessoa física ou jurídica. Depois de validadas as informações pessoais ou da empresa, o acesso ao histórico das dívidas tributárias é liberado.

Fonte: Redação.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© direitos reservados
feito com por Brasília de Todos Nós