Últimas

%23BrasíliadeTodosNós

35 mil alunos tornaram-se guardiões da água em 2015

Desde que foi criado, em 2010, projeto Adasa na Escola já percorreu 276 instituições de ensino em Brasília



Crianças da Escola Classe 303 de São Sebastião levantaram as mãos e responderam em coro que querem ser guardiões da água, quando questionados por Cássia Van den Beusch, coordenadora do Adasa na Escola, durante palestra na instituição de ensino na quarta-feira (28). O encontro faz parte do projeto criado em 2010 pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal. A proposta é conscientizar o público infantojuvenil do uso racional da água, ensinar a destinação correta dos resíduos sólidos e formar agentes multiplicadores de práticas sustentáveis.

Até ontem, 276 instituições de ensino públicas e particulares e 109.129 estudantes, da educação infantil ao ensino fundamental, tinham participado das atividades do projeto. Neste ano, foram 76 escolas e 35.997 alunos. Segundo Cássia, a meta, criada em 2013, era alcançar 20 mil estudantes por ano. "Em 2015, a expectativa é chegar a 40 mil até dezembro", estima. Ela acredita que a propaganda entre as próprias instituições e as notícias de crise hídrica em outras unidades da Federação fizeram com que o interesse aumentasse e contribuíram para que, já em março, o calendário de visitas estivesse completo até o fim do ano.

A unidade pública de ensino de São Sebastião já havia participado do projeto em anos anteriores. "A gente sabe que é uma semente que tem de ser cultivada sempre para dar bons frutos", ressalta o orientador educacional Alexandre Paiva. "Espero que eles [os alunos] consigam ter consciência da economia e do uso racional da água e repassem o que aprenderam."

Metodologia
As ações ocorrem três vezes por semana, quando são usados recursos didáticos, como a cartilha Os Guardiões da Água Contra o Mal do Desperdício. Na história, dois super-heróis ensinam práticas de consumo consciente. A publicação vem acompanhada de uma carteirinha, na qual o aluno escreve o próprio nome e o da escola e gruda uma foto para tornar-se um guardião.

O material distribuído para os alunos varia de acordo com a faixa etária. Além da cartilha, há folhetos explicativos para os pais e sugestões de planos de aula para os professores. A instituição de ensino também recebe o título de guardiã da água.

O projeto tem outras ações específicas, como a promovida em setembro, durante a Semana Lago Limpo. Na ocasião, foram ministradas aulas sobre o meio ambiente para professores da rede pública de ensino. Os colégios também podem solicitar à agência atividades de capacitação dos profissionais.

Em novembro, o Adasa na Escola participará do 21º Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, que neste ano será em Brasília. Haverá um circuito com três estações (água e saúde, consumo consciente e ciclo da água) para receber crianças e adolescentes de escolas públicas do DF previamente selecionadas.

Como participar
As instituições interessadas devem fazer o pedido de visita do projeto pelo telefone 3961-4945 ou pelo e-mail adasanaescola@adasa.df.gov.br. As vagas para este ano estão encerradas, mas é possível ficar na lista de espera para o caso de desistências. Para 2016, as inscrições começarão em janeiro.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© direitos reservados
feito com por Brasília de Todos Nós