Últimas

%23BrasíliadeTodosNós

Sérgio Sampaio é apresentado como chefe da Casa Civil

Nomeação do novo secretário deve ser publicada no Diário Oficial do DF na semana que vem

Foto: Emerson Tormann
O governador Rodrigo Rollemberg e o novo chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio

O servidor público federal Sérgio Sampaio, diretor-geral da Câmara dos Deputados, foi apresentado oficialmente como o novo chefe da Casa Civil. Em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (11), no Palácio do Buriti, ele elegeu como o maior desafio do cargo dar respostas rápidas aos grandes problemas da cidade. “Nosso esforço é fazer com que a gestão possa ser reconhecida pela sua eficiência”, disse. A nomeação de Sampaio deve ser publicada no Diário Oficial do Distrito Federal na próxima semana.

Antes, o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, voltou a agradecer ao jornalista Hélio Doyle, “por sua lealdade, desprendimento e competência nesses primeiros meses”. Doyle desligou-se da pasta nesta quarta-feira (11).

Em seguida, Rollemberg acrescentou: “Agora, o Sérgio vai desempenhar o papel de coordenar as ações do dia a dia do governo para que possamos entregar os resultados que a população espera”.

Perfil
Sérgio Sampaio Contreiras de Almeida nasceu em Brasília, em 9 de maio de 1967. Formou-se em direito pela Universidade de Brasília, em 1991. Aos 21 anos, passou no concurso de técnico legislativo da Câmara dos Deputados. De 1993 a 2001, foi secretário da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC). Em 2001, assumiu a Diretoria-Geral, onde ficou até 2011. Nesse ano, passou a exercer a função de secretário-geral da Mesa. Em 2013, voltou a ser o diretor-geral, cargo que ocupou até aceitar o convite para ser chefe da Casa Civil do Distrito Federal.

Veja os principais pontos da entrevista de Sérgio Sampaio:

O cargo
Estou extremamente honrado por assumir esta importante missão. Agradeço a oportunidade de emprestar o meu esforço e o meu trabalho em prol desta causa. Causa esta da gestão diferenciada, voltada para o bem público, onde o interesse privado não deve se sobrepor ao público. Tentaremos fazer uma administração dinâmica, ágil e que dê respostas efetivas aos grandes problemas enfrentados pela nossa população. Sei que a realidade do Executivo é outra, mas procurarei me adaptar o mais rápido possível.

Primeiras medidas
Quero me inteirar o quanto antes sobre os grandes projetos que precisam ser implementados. Eles dizem respeito à saúde, à mobilidade, à ocupação do solo. Queremos dar celeridade à gestão em algumas questões para que o Distrito Federal se torne um lugar atrativo ao investimento de empresas, por exemplo.

Relação com a Câmara Legislativa
O papel da Casa Civil em relação à Câmara Legislativa é complementar. Existem a Secretaria de Relações Institucionais e o próprio gabinete do governador, que se incubem dessa missão [de articular políticas junto à Câmara Legislativa], e é claro que estamos abertos para ouvir os membros do Poder Legislativo, porém não é uma missão precípua da Casa Civil. O que vamos propor é uma relação saudável entre o Poder Legislativo e o Executivo, pois a Câmara pode, sim, ser grande parceira e alavancar o desenvolvimento do Distrito Federal.

Servidores
O governador determinou provê-los [os cargos no Executivo local] de pessoas da maior competência. Não existe aqui qualquer segregação. Todos aqueles colaboradores que reúnem qualificações necessárias para integrarem a administração do DF serão mantidos, sem nenhum tipo de restrição. Buscaremos conhecer o histórico profissional do servidor e identificar aqueles que possam abrilhantar o governo do DF. O servidor é o próprio governo, e todas as políticas se realizam por meio de pessoas. Ele precisa entender seu papel, perceber como integrar a grande engrenagem da administração pública.

Crise financeira
Conhecemos a situação do DF, e ela não é falaciosa, artificial. De fato, o governo estava numa situação difícil em relação às despesas e receitas. Esses primeiros meses foram focados para resolver essas situações emergenciais. Isso consumiu esforços imensos desta gestão. Os servidores que aqui estão, valorosos, de primeiro time, fizeram até agora um brilhante trabalho. Há muito a ser feito ainda, mas, neste momento, a ideia era arrumar a casa e dotar o governo de condições mínimas de funcionamento. Isso foi feito com muito êxito. Temos o limite com gasto com pessoal, que nos impõe uma série de restrições, mas, com o trabalho dos servidores e a condução firme e segura do nosso governador, saberemos superar este momento.

Fonte: Redação.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© direitos reservados
feito com por Brasília de Todos Nós