Últimas

%23BrasíliadeTodosNós

Reconhecimento ao primeiro fotógrafo oficial de Brasília

Câmara Legislativa homenageia, nesta terça-feira (16), o pioneiro Mário Fontenelle com título póstumo de Cidadão Honorário de Brasília

Foto: Cláudio Alves
Fotógrafo oficial do governo Juscelino Kubitschek, Mário Fontenelle.

Autor de mais de 5 mil imagens da construção de Brasília, Mário Fontenelle (1919–1986) pode ser o maior responsável pela memória imagética da cidade. Fotógrafo oficial do governo Juscelino Kubitschek, são dele fotos icônicas: o cruzamento dos eixos, o Marco Zero da construção de Brasília e a imagem de JK e Lucio Costa no local onde se iniciaria o Eixo Monumental. 

Nesta terça-feira, às 19 horas, o piauiense de Parnaíba terá o trabalho reconhecido em solenidade na Câmara Legislativa, que lhe concederá o título póstumo de Cidadão Honorário de Brasília. No saguão, haverá mostra com 18 imagens emblemáticas feitas por Fontenelle, quatro painéis e uma reprodução de um laboratório de revelação fotográfica — com câmeras antigas, rolos de filme e outros materiais semelhantes aos usados na trajetória profissional de Fontenelle.

“Foi difícil selecionarmos só algumas fotos, mas prezamos aquelas que mostram a sensibilidade do autor”, explica o gerente do Acervo Audiovisual do Arquivo Público do Distrito Federal e responsável pela mostra, Marcelo Durães. Desde 1980, o material de Mário Fontenelle compõe o Fundo Novacap do Arquivo Público do DF. “Brasília tem toda a sua construção registrada desde o início”, ressalta Durães. “Tudo isso graças à produção do fotógrafo e ao trabalho de preservação do Arquivo.”

Depoimentos
Na ocasião, será exibido o curta-metragem Mário Fontenelle — A Oração Silenciosa, assinado pelo professor e cineasta cearense Pedro Jorge de Castro. Com quase 30 minutos de duração, o documentário traz a história do pioneiro por meio de depoimentos de outros fotógrafos e ainda jornalistas, cientistas sociais e professores.

O diretor já formulava a ideia dez anos antes de começar a produção, iniciada em 2013. “Tive essa vontade desde que vi a quantidade de material e a qualidade da produção de Fontenelle”, acrescenta.

Na locação, Pedro Jorge passou dez dias na cidade natal do fotógrafo, filmou em Belo Horizonte, no Rio de Janeiro e em Brasília, refazendo os passos do pioneiro até a morte dele, aos 67 anos, no Lar dos Velhinhos Maria Madalena, no Núcleo Bandeirante. “Fomos aonde ele estudou, na igreja em que foi batizado, vimos documentos antigos e o primeiro local em que ele trabalhou.”

Registros puristas
Antes de captar as imagens que mostram Brasília desde o berço, Fontenelle era mecânico de pista em uma empresa de transportes aéreos. Transferido para o Rio de Janeiro, foi promovido a operador de voo e conheceu Juscelino Kubitschek. “Foi JK quem lhe deu a primeira câmera, uma Leica 35 milímetros”, conta o diretor. A partir daí, nasceu o fotógrafo autodidata que se dedicou ao sonho da nova capital ao lado do presidente.

“As fotos de Fontenelle são registros puristas da grande vontade de Juscelino, são materiais de devoção”, define o cineasta. Após o lançamento, o curta será exibido em Parnaíba (PI), na Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) e no Arquivo Público do Distrito Federal, em datas a serem definidas. “Há algo no filme que não dá para explicar ou contar: a emoção que ele transmite”, conclui.

Cearense radicado em Brasília, Pedro Jorge de Castro, de 71 anos, é diretor do Instituto Animatógrafo de Comunicação, professor da Universidade de Brasília (UnB), cineasta e membro fundador da Associação dos Produtores e Realizadores de Filmes de Longa-Metragem de Brasília. Em 1977, venceu a categoria Melhor Curta do 10º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro com Brinquedo Popular do Nordeste.

Homenagem a Mário Fontenelle e exibição do curta-metragem Mário Fontenelle – A Oração Silenciosa
16 de junho (terça-feira)
Às 19 horas
Câmara Legislativa do Distrito Federal (Praça Municipal, Quadra 2, Lote 5)

Fonte: Redação.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© direitos reservados
feito com por Brasília de Todos Nós